Eleições 2017 – Entrevista com Allan Araújo

Allan Araujo é o candidato a Presidente do Conselho Deliberativo na Chapa “Santa Cruz do Povo”. Tem 34 anos, possui graduação e mestrado em Ciência Computação pela UFPE. Atua como gestor de projetos na área de tecnologia há 12 anos com ampla experiência internacional. Além disso, leciona em cursos de pós-graduação e mestrado em Gerenciamento de Projetos e TI.

Blog do Santinha: Na sua opinião o conselho deve ser um órgão de arrecadação ou de deliberação e fiscalização? 

Allan Araújo: Definitivamente, de deliberação e fiscalização. O clube pode e deve ser modernizado. A nossa visão de futuro compreende: 

– De um lado, o executivo sendo formado – em sua maioria – por profissionais com a formação e as habilidades necessárias. 

– De outro, o conselho sendo formado por sócios eleitos definindo as diretrizes, políticas e modelos de governança do clube. 

Assim, podemos garantir a eficiência através da boa gestão; e a manutenção da nossa identidade, cultura e valores através dos sócios atuantes como conselheiros eleitos. 

Blog do Santinha: No Santa Cruz há uma prática do Presidente do Executivo acabar seu mandato e  ser candidato a Presidência do Conselho Deliberativo no mandado seguinte. O senhor acha isso correto, uma vez que as contas do clube só são julgadas no exercício seguinte? Para ficar mais claro a questão: o senhor acha correto o ex-presidente do clube julgar suas próprias contas? 

Allan Araújo: Sou totalmente contra. Basta recorrermos aos princípios da impessoalidade, da isonomia e da razoabilidade. Este expediente é vedado em qualquer organização que se prese. O mais importante aqui não é apequenar a questão e discutir o caráter de Fulano de tal ou qualquer indivíduo pontualmente. Trata-se apenas de proteger a Instituição e garantir a isenção e imparcialidade necessária ao processo. 

Dentro deste contexto, um dos nossos compromissos de campanha será uma atuação mais proativa da comissão fiscal, permitindo auditorias internas por um grupo mais amplo formado – além dos membros da comissão – por integrantes dos associados. 

Para ir além nas medidas de transparência, nossa chapa também propõe duas medidas audaciosas: 

– Obrigatoriedade de declaração de bens e de fontes de renda dos candidatos à Presidência do Executivo e do Conselho Deliberativo; 

– Obrigatoriedade de declaração de bens dos Presidentes do Executivo e do Conselho no ultimo ano dos seus mandatos, 60 dias antes das eleições, sob pena de não terem as contas aprovadas e serem impedidos de assumirem quaisquer cargos diretivos no clube, além de responderem civil e criminalmente por eventuais recebimentos de vantagens indevidas. 

Blog do Santinha: Grande parte da torcida coral aponta o estatuto do clube como uma das fontes de tantos erros de gestão, pois afirmam que o mesmo é anacrônico e não é capaz de permitir a modernização do Santa Cruz. Como o  senhor vê o estatuto atual? É possível, politicamente, existir um acordo para torná-lo mais adequado às demandas de nosso tempo?

Allan Araújo: Gosto de pensar nas coisas em termos de legado. Em caso de vitória, o legado deste conselho será a aprovação de um novo estatuto que possa modernizar o clube, garantindo a democracia e transparência. 

Respondendo objetivamente à pergunta: a primeira modificação tem que ser adequar o estatuto à legislação vigente (Profut e contemplar outras leis que modificaram a Lei Pelé). Esta é uma questão de ordem e está acima das ideologias. 

Os demais avanços devem ser no sentido de democratizar as eleições (voto universal, eleições diretas para o executivo e eleições proporcionais para o conselho); promover a boa gestão (cláusulas de responsabilidade fiscal e financeira, responsabilização dos gestores) e garantir a transparência (controladoria e auditoria). 

Honestamente, acredito que que politicamente poderemos alcançar este acordo, uma vez que estamos propondo uma enorme renovação no conselho deliberativo. 

Blog do Santinha: É comum ouvirmos criticas ao modelo político do Santa Cruz. No clube, o Conselho Deliberativo é todo composto por pessoas indicadas pelo Presidente do Executivo. O senhor acha salutar este tipo de modelo político? 

Allan Araújo: O que nós acharíamos que um partido político ao eleger o presidente da república também ficasse com todas as vagas do Congresso Nacional? 

Parece temerário e surreal, mas este é o Santa Cruz atual, um regime de partido único. O conselho deliberativo deve ser um palco dos grandes debates e das grandes questões sobre o Santa Cruz. 

Mais do que comendas e votos de aplausos, nossa pauta deve ser reformas e fiscalização. E tudo isso é impossível sem contraditório, sem oposição de ideias. 

Portanto, o conselho deve ser composto proporcionalmente de acordo com a votação das chapas de acordo com um percentual mínimo de votos obtidos.  

Blog do Santinha: O Conselho Deliberativo do Santa Cruz pode ter até 500 conselheiros. A mensalidade custa 150 reais. Há um destino especifico para esta arrecadação? Na sua opinião qual seria a melhor forma de se prestar contas da arrecadação do Deliberativo? 

Allan Araújo: A destinação atual é de cerca de 75% transferidos ao poder executivo. Os demais 25% são destinados às despesas do próprio conselho e atividades esportivas amadoras ou semi-amadoras. Defendo que o clube possa ter – até o final da gestão – algo similar ao Portal da Transparência, onde esta prestação de contas ocorra de maneira dinâmica. Defendo que esta ferramenta seja implantada primeiramente no âmbito do Conselho Deliberativo e, posteriormente, disseminada para as demais áreas do clube.

Blog do Santinha: Ainda sobre os membros do Conselho, de acordo com o estatuto temos os conselheiros efetivos e os suplentes. Qual o critério para um suplente assumir a titularidade? Por exemplo, se um titular morrer, qual o suplente que o substitui?

Allan Araújo: O estatuto é omisso em relação a isto. Porém, existe uma cláusula mágica que determina que “os casos omissos devem ser decididos no âmbito do conselho”. Questões mais simples como estas podem constar no regimento interno do conselho. 

Blog do Santinha: Na esfera da política interna do clube, como o senhor pensa uma gestão eficaz que seja capaz de sanar os problemas históricos do santa Cruz como dívidas trabalhistas, salários sempre atrasados, falta de grande investidores, etc.? 

Allan Araújo: Eu tenho uma visão de futuro: Santa Cruz vencedor e popular. Parece óbvio que o Santa Cruz é uma instituição de futebol com milhões de apaixonados ávidos por títulos e vitórias. Ninguém anseia por certificações como ISO e afins. 

Contudo, por paradoxal que seja, as vitórias se tornam duradouras quando as vitórias são conquistadas sem sacrificar a sustentabilidade. Na história recente do Santa Cruz acompanhamos alguns momentos de glórias seguidas das nossas piores crises. 

Vencer deve ser uma obsessão de um clube como o Santa Cruz. Mas queremos e devemos ser um clube vencedor ao longo de décadas e gerações. E isto só será possível através de excelência em gestão nas áreas jurídica, financeira, comercial, social e, claro, futebol. 

Somente assim passaremos uma imagem de credibilidade para nossos sócios, torcedores, investidores e parceiros, nos tornando mais atrativos. Hoje, não fazemos o básico: gastar menos do que arrecadamos. 

Nossa gestão no conselho pretende direcionar o clube neste sentido ao defender a implantação de modelos de governança, impor a responsabilidade financeira e coibir a improbidade administrativa.  

Blog do Santinha: No que se refere ao Conselho Deliberativo, caso o senhor seja eleito, como pretende atuar e quais os seus compromissos como Presidente do Conselho Deliberativo nos próximos 3 anos?

Allan Araújo: Pretendo atuar de maneira democrática, com uma forte liderança participativa e descentralizada. A grande vantagem de uma candidatura como a nossa é a independência. Os  compromissos do nosso conselho serão: 

– Garantir o pleno funcionamento do conselho com a periodicidade dos encontros sendo respeitada; 

– Promover a criação de comissões temáticas (ex. Futebol, Marketing, Finanças) para aprofundar as discussões no conselho;  

– Ampliar o direito ao voto e candidatura para o sócio (acima de 16 anos) de qualquer categoria; 

– Incentivar as eleições diretas para o executivo e proporcional para o conselho deliberativo; 

– Discutir a extinção da comissão patrimonial, criando a diretoria de patrimônio subordinada ao poder executivo. 

 

 

Autor: Gerrá da Zabumba

Compartilhe esta publicação

27 Comentários

  1. Ótima entrevista. Cada dia mais me alegro e fico esperançosa que a Chapa Santa Cruz do Povo vença esse pleito. Precisamos de uma vez por todas dar vez ao novo. Compreendo que isso gera desconfianças, porém em minha visão as pessoas que aí estão já tiveram muitas oportunidades de estruturar o nosso clube e nada fizeram. Que essas eleições confirmem a vitória de Fábio Melo e sua cúpula para desta forma, podermos almejar de fato, dias melhores a todos no Arruda.

    Publicar uma Resposta
  2. Santa Cruz. Ah meu Santa Cruz, será que desistiremos? No momento estou incrédulo.

    Publicar uma Resposta
  3. Se conversa bonita, colocações fúteis, projetos inexequíveis, mentiras e lorotas ganhassem campeonatos, o Santa seria campeão do mundo. O Santa tem quer ser tratado e cuidado conforme o seu estado, falido, insolvente e inviável. O resto é conversa pra boi dormir. Se querem resolver sentem à mesa, existem outras soluções. Estamos perdendo tempo com essas mentiras e promessas inviáveis.

    Publicar uma Resposta
  4. Enquete no site do Diário de Pernambuco dá vitória a Constantino Júnior. Ou seja, não teremos mudanças significativas nos próximos três anos.

    Publicar uma Resposta
  5. De acordo com reportagem do globoesporte.com o SCFC tem 7 (sete) rebaixamentos. De quantos o candidato à presidência pela situação, participou? O que ele pode nos oferecer de diferente, além da choradeira de sempre (não tem dinheiro, a Torcida precisa chegar junto…)? Seria uma pergunta a ser feita pelo blog quando entrevistar os candidatos da situação (presidência, conselho, patrimonial, etc).

    Publicar uma Resposta
  6. Se nas pesquisa Fábio sempre tá na frente porquê tininho já haje como eleito? Renovando contratos,etc sinceramente não adianta ter eleições no sánta é jogo ganho isso está na lista de sócios ele devem ter uns 60% de nomes nessa lista que eles mantêm em dia com recursos próprios e eles mesmo convocam as pessoas pra votar em troca de serem sócios sempre se vcs levantarem a quantidade de sócios em dia não bate com a arrecadação fica a dica aqui pras duas chapas eles dão baixa nos sócios deles mas o dinheiro não entra

    Publicar uma Resposta
  7. As chapas apresentaram propostas exequíveis para um clube que ainda pode caminhar com as próprias pernas, o que não é o caso do Santa Cruz.
    Nenhum candidato soube dizer como vai administrar o impagável passivo trabalhista que consome, como praga de gafanhotos, a rarefeita receita do clube.
    Sem uma solução concreta para as dívidas trabalhistas, não há horizonte.

    Publicar uma Resposta
  8. Santa Cruz velho de guerra, resistirás a mais um período de turbulências? Os que se apresentam como salvadores da pátria são os mesmos que puderam no limbo.

    Publicar uma Resposta
  9. Santa Cruz, ó meu Santa Cruz, será que resistirás a mais um período de turbulências! Aqueles que querem te guiar foram os mesmos que te jogaram nos tristes porões do inferno futebolístico.

    Publicar uma Resposta
    • O candidato da situação já continua com as mentiras de sempre “Vamos reestruturar o Arruda através da comissão patrimonial” … E ainda tem quem acredite.

      Publicar uma Resposta
    • O candidato da situação disse: Vamos reestruturar o Arruda” a comédia continua.

      Publicar uma Resposta
      • Nas séries A e B, não conseguiram. Imaginem na série C. Vai ter que vender muito bolo de rolo.

        Publicar uma Resposta
  10. Essa eleição é um jogo de cartas marcadas e quem está na situação só perde um pleito se quiser. Foi publicada hoje, 30/11, no site oficial do Santa Cruz a lista oficial de sócios aptos a votar, meu nome consta na página 227 como sendo sócio na categoria Tri Super. Informo a quem interessar possa que desde a mudança do plano Guerreiro Fiel para o atual NÃO PAGO A MENSALIDADE, NÃO ADERI AO NOVO PLANO e, portanto, não posso ser eleitor apto a votar. Assim como eu devem existir centenas, ou milhares, de “sócios” aptos a votar.

    Publicar uma Resposta
  11. A chapa Albertino ingressou em juízo questionando a substituição de ALN por Tininho na Chapa situacionista. O estatuto, pra variar, é omisso.

    Publicar uma Resposta
  12. Esse estatuto não é cerca mais é cheio de brecha

    Publicar uma Resposta
  13. MANCHETE DO GLOBO ESPORTE

    Ricardo Rocha revela que “trauma” o impediu de seguir carreira como treinador
    Para o comentarista do SporTV, péssima experiência como técnico do Santa Cruz, em 2001, o afastou da carreira: “Não tinha luz, nem água. Enfim, um clube destruído”
    HÁ 2 DIAS
    REDAÇÃO SPORTV

    Pouco ou nada mudou, apesar de o clube ser eternamente administrado por tricolores apaixonados pelo clube, dedicados ao clube, sofredores pelo clube…

    Publicar uma Resposta
  14. Escutei as entrevista podcast 45minutos. E se minha categoria de sócio tivesse direito a voto, votaria na chapa de Albertino dos Anjos.

    Publicar uma Resposta
  15. A solução definitiva para a salvação do Santa, teria acontecido se o ministro Alexandre não tivesse concedido a Liminar, que garante aos “trambiqueiros do futebol brasileiro” continuar em atividade. Daí, após a concessão da liminar, ter havido uma grande comemoração no Arruda. Hoje, o Santa que já não pagava a ninguém, agora pode deitar na mais completa inadimplência. Não mais pagará aos funcionários, atrasados em 5 meses( ficará sempre devendo 5 meses ), aos jogadores, que só receberão os primeiros 3 meses do contrato( não mais receberão até o fim). Não pagará tributos, acordos na Justiça do Trabalho, PROFUT e fornecedores. Apenas pagará a energia( se não cortam) e água( se não cortam). Os jogadores irão receber em cash, pois os bloqueios serão irreversivelmente perpétuos. Na série “C”, receberá da CBF as passagens e hospedagens. Ou seja, poderá jogar o campeonato todo, pois se preocupará apenas em pagar o que acima foi dito. Por isso é que a luta pelo poder é grande. Não havendo responsabilidade, já decretada a desobediência civil absoluta, viverão de vender pouquíssimos jogadores, cujo produto irá só Deus sabem para onde. Está como o Diabo quer. O Santa hoje é o primeiro clube proscrito do futebol brasileiro, devedor confesso e convicto, trambiqueiro juramentado. Não tem nada mais a perder, o estádio está em terreno da Prefeitura e o CT em nome de terceiros . A única coisa que vai perder, realmente, é sua enorme torcida, que ano a ano vai desaparecer. Uma lástima que nos choca a todos, verdadeiros tricolores.

    Publicar uma Resposta
    • Guilardo, como já debatemos aqui, lembro que a liminar não impede cobranças, leilões, bloqueios ou processos de cunho trabalhista ou econômicos. “Apenas” impede punições desportivas com perda de 3 pontos, impedimento de participar de competição ou rebaixamentos forçados.

      Publicar uma Resposta
  16. pois é se o estatuto do santa fosse serio essa turma que ta ai iria sair direto do arruda pra responder por prejuizo causado ao clube
    e ainda sao candidatos e ja contam com a vitoria

    Publicar uma Resposta
  17. o que agente ve é que essa turma de aln que se enraizou no clube so estao preocupados com o poder e a retirada deles e de vez em quando sobra alguma coisa pro santa cruz

    Publicar uma Resposta
  18. Coral. Exatamente isso. Mas ainda que se faça tudo processualmente, eles não estão ligando, pois continuarão operando.

    Publicar uma Resposta
  19. A bancada da bola no congresso é muito forte e tem o ministro Kojak como aliado, ente outros.

    Publicar uma Resposta

Submeter um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *