Anotações inúteis sobre a Copa do Mundo*

Pelo porte de rei dá para saber quem é Didi na foto

Pelo porte de rei dá para saber quem é Didi na foto

Desde que me entendo por gente, adoro o futebol. É uma herança paterna das mais nobres. Onde morávamos, em qualquer cidade, era uma programação normal, ir ao estádio, ver os jogos, escutar os comentários dos mais velhos, torcer. Geralmente íamos meu pai, eu e meu irmão do meio, o Tonho, já que o Paulinho nunca foi propriamente um amante do futebol.

Foi assim ao longo da minha vida, até que completei 18 anos e vim morar no Recife, onde iniciei a “carreira solo” no futebol. Aqui, me apeguei ao Santa Cruz, que virou meu time do coração, e sigo indo regularmente aos estádios onde o Santa joga, especialmente o Arruda.

Desde que me entendo por gente, muitos intelectuais, jornalistas, muitos especialistas ou simples comentadores de Internet, classificados de “colunistas”, colocam o futebol como “alienação” ou “ópio do povo brasileiro”. Fazem cara feia para algo importantíssimo em nossa cultura. Agora, na Copa, prometem torcer contra a Seleção Canarinha.

Não sei que caráter eu teria, que homem eu seria, se não tivesse ido tantas vezes ao estádio, se não tivesse sido um menino acompanhando seu pai e irmão, em campos do Maranhão, Ceará, Pernambuco, fora os estádios pelo Brasil afora, além de outros tantos países que conheci.

Frustrações, glórias, derrotas, tristezas, euforias, uma quantidade enorme de amigos que fiz, que seguem sendo meus irmãos.

Não sei também como eu seria, aos 45 anos, se não jogasse peladas semanais, com meus amigos, onde corremos, suamos, praguejamos, discutimos, lamentamos derrotas e firmamos nossas amizades. Sempre joguei, sempre admirei e sempre lamentei tratarem o futebol nacional como coisa de cretinos. Cretinos são os que administram nosso futebol, não os milhões que o amam.

Parece que é preciso dar uma conotação de “falha de caráter” a essa nossa obsessão nacional pelo futebol. O mais engraçado é saber que essa não é uma característica brasileira – o futebol é uma obsessão mundial, que a cada dia movimenta mais bilhões, interesses, mídia.

Está aí, o Uruguai, celebrando há 64 anos um título em cima do Brasil, o “Maracanazo”. Já estive várias vezes lá e sei que aquela vitória, em 1950, ajudou a definir um certo caráter uruguaio, um pequeno país capaz de enfrentar um gigante.

Temos cretinos administrando nosso futebol. O presidente da CBF, um sujeito que se chama José Maria Marin, admirador confesso da Ditadura de 1964, foi capaz de embolsar a medalha destinada aos atletas da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2012. Não preciso citar Ricardo Teixeira, muito menos João Havelange e o agora o senhor Joseph Blatter, o “dono” da Fifa, quase o equivalente àqueles meninos ruins de pelada, mas que são os donos da bola. A biografia deles é de uma eloquência soberana.

Mas prefiro olhar para nosso povo e para esta suposta “alienação” que o futebol provocaria.

Ao contrário da ilusão, acho que a cada anos vivemos um sonho. O sonho de sermos os melhores do mundo, no esporte mais popular do mundo. Sabemos muito bem dos nossos problemas, da corrupção, dos escândalos, dos ônibus lotados. Desde junho nosso povo está nas ruas, protestando, reivindicando.

Desde que me entendo por gente, as interpretações rasteiras entre futebol e povo brasileiro vão se acumulando. Até hoje, nunca vi ninguém entender tão bem de Brasil e sua relação com o futebol como Nelson Rodrigues. O negro Didi, na Copa de 1958, nos resgatou das trevas, quando o Brasil levou o primeiro gol da Suécia. Ali sim, iríamos nos tornar eternos vira-latas.

Ele foi calmamente ao fundo da rede, pegou a bola e saiu caminhando como um rei, até o centro do gramado. Pouco falou. Apenas caminhou, como que dizendo – vamos simplesmente jogar nossa bola e mostrar quem somos. Pouco depois nascia outro rei, também negro, com 17 anos – Pelé. Ganhamos de 5 x 2 e fomos aplaudidos de pé pelos suecos.

Eu poderia escrever duzentas páginas sobre o futebol e nossa identidade, mas é tarde. Daqui a pouco começa mais uma Copa do Mundo. Desta vez, no Brasil.

Vou torcer ardorosamente em todos os jogos. Como um bom alienado, o hexacampeonato é uma obsessão particular minha.

*Texto publicado originalmente no www.estuario.com.br horas antes do primeiro jogo da Copa, contra a Croácia.

**

Cine Foot faz homenagem ao centenário do Santa Cruz! (veja a programação da abertura)

Domingo (15)

19h – Homenagem ao Santa Cruz Futebol Clube

“O pai, o filho e o espírito Santa” (10’, PE, 2013), de Brenno Costa e Lucas Fitipaldi

“Dossiê 50: comício a favor dos náufragos” (80’, RJ, 2013), de Geneton Moraes Neto

Local: Cinema São Luiz (Rua da Aurora 175 – Boa Vista)

Entrada Franca (Sujeita à lotação. Ingressos serão distribuídos 1 hora antes do início de cada sessão)

Autor: Samarone Lima

Compartilhe esta publicação

28 Comentários

  1. Eita texto de qualidade! (Como sempre)

    Também sou “alienado” Samarone, também amo futebol e desde comecei ficar de pé meu pai me levava pra campo numa lambreta pra assistir jogos do campeonato gravataense. Lembro da primeira vez que fui num estádio profissional, lembro da primeira vez que fui no Arruda, lembro vagamente da Copa de 1982, lembro de tanta coisa bonita relacionada ao futebol, mas acho que a mais importante que esse esporte me trouxe foram as amizades, quer seja dos amigos de pelada, quer seja dos amigos que fiz torcendo pelo Santa Cruz, e tantas outras vertentes que o futebol me proporcionou.

    Talvez Samarone estejamos “viciados” pelo ópio do povo, mas isso me faz tão bem, me faz esquecer por alguns instantes a corrupção encravada no meu país, a falta de direitos básicos para o cidadão comum, como nós, mas como disse, me faz esquecer por 90 minutos, depois quando posso cobro meus direitos, dentro das minhas limitações é claro, como todo cidadão deveria fazer.

    Enquanto meu Santa está em recesso, sou Brasil e quero o hexa, foi assim que aprendi com meu velho e é assim que quero viver!

    Publicar uma Resposta
  2. O Vasco vai jogar contra o Santa Cruz fora do Rio de Janeiro.
    Será que o Vasco vai levar o jogo para Paraíba ou Alagoas ?

    Publicar uma Resposta
  3. E a Espanha heim ? Levou uma sonora goleada da Holanda.

    Publicar uma Resposta
  4. Como já se sabe, não é só a torcida do Santa Cruz que sofre com a fornecedora Penalty, a torcida do vasco também sofre:

    Contrato com a fornecedora de material, em 2009, foi alternativa para pagar dívida, já que a preferida era a Puma. Agora, relação e valores não são ideais, mas as dificuldades enfrentadas no mercado motivam a iminente extensão em breve

    Grupos políticos passaram a pressionar a diretoria para que não renovasse com a Penalty ou aceitasse a entrada de outra parceira agora, a não ser que fosse um grande negócio. Duas chapas chegaram a fazer pedidos formais a membros da cúpula, e uma delas protocolou tal solicitação oficialmente na secretaria. Todos sabem que a maioria dos torcedores rejeita a marca por reclamações de preços caros e qualidade do material.

    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/vasco/noticia/2014/06/vasco-e-penalty-acertam-detalhes-para-prorrogar-contrato-ate-dezembro.html

    E ENQUANTO TAMOS NA COPA DO MUNDO:

    Dá-lhe Brasil!!

    Publicar uma Resposta
  5. Serão feitas quantas contratações, nesse período de Copa???

    Precisamos de pelo menos umas 5 contratações e 5 dispensas.

    Sds tricolores hoje e sempre!!!

    Publicar uma Resposta
  6. SANTA CONTRATA BILEU EX VOLANTE DA COISAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

    Publicar uma Resposta
  7. Amigos tricolores que belíssimo texto fomos agraciados pelo nosso ilustre escritor tricolor Sama.
    Mas, como estão em época de Copa do Mundo gostaria de destacar o jogaço de Holanda e Espanha e dizer que manter uma base campeão nem sempre é o melhor caminho.
    Vale destacar nesse início de Copa o golaço de Van Persie, nunca tinha visto um lance de tanta plástica e categoria.
    Sds tricolores e espero que o Santa contrate jogadores pra somar, pois o nosso elenco está cheiode jogadores fracos e com qualidade inferior a série B.

    Publicar uma Resposta
  8. Amigos tricolores que belíssimo texto fomos agraciados pelo nosso ilustre escritor tricolor Sama.
    Mas, como estão em época de Copa do Mundo gostaria de destacar o jogaço de Holanda e Espanha e dizer que manter uma base campeão nem sempre é o melhor caminho.
    Vale destacar nesse início de Copa o golaço de Van Persie, nunca tinha visto um lance de tanta plástica e categoria.
    Sds tricolores e espero que o Santa contrate jogadores pra somar, pois o nosso elenco está cheio de jogadores fracos e com qualidade inferior a série B.

    Publicar uma Resposta
    • Gostei muito da goleada da holanda, time que eu simpatizo a muito tempo.

      O lado negativo da partida foi a vaia contundente da torcida brasileira em cima apenas de Diego costa, por achar muito equivocadamente que ele ‘traiu” a nação pra jogar por outra seleção. Sendo que em momento algum o treinador do Brasil demonstrou interesse na sua convocação e só abriu essa possibilidade quando Diego Costa já tinha dado sua palavra que ficaria com a Espanha. E antes dele já tiveram e tem uma dúzia de exemplos de brasileiros atuando por outras seleções sem maiores problemas.

      Publicar uma Resposta
  9. Não seja alienado! Futebol é sim o ópio do povo “brasileiro”. Contra fatos não há argumentos. A própria esquerda usava esse jargão nos anos 70. Tô mentindo?

    Publicar uma Resposta
  10. Grande texto Samarone!

    Tb torço pelo Brasil, sem qualquer vergonha.
    Pelo Santa, torço muito mais. Mas, em época de copa do mundo, torço pelo Brasil.
    Assim como torço pelo basquete, volei, judô, etc.
    Torço pela Teliana, pernambucana que vem fazendo história no tênis feminino.

    Tenho essa “idiotice” de me orgulhar do meu país e mais ainda do meu Pernambuco. E muito mais ainda do meu Santa Cruz.

    Quanto aos xingamentos a Dilma, achei lamentável. Mas com essa minha opinião, é capaz de ser insultado tb. Quanta falta de respeito à democracia e ao presidente da república!
    Aqueles playboys que têm dinheiro pra comprar o ingresso de 1000 reais para jogo de copa do mundo, certamente, não votaram em Dilma. Mas têm que respeitar a vontade da maioria, que estava em casa, vendo o jogo pela TV, porque nao tem dinheiro pra estar no campo, mas , por algum motivo, prefere o PT ao PSDB.

    OBS: Sempre votei no PT, mas não votarei mais. Acho que já deu. Essa é uma opção política, de dar alternância ao poder, principalmente por reconhecer o desgaste do modelo vigente. Não se trata de uma convicção preconceituosa como a de muitos.

    Saudasanta

    Publicar uma Resposta
  11. Apredam essa: ” Poço não concordar com uma só palavra sua, más defenderei até a morte o seu direito de dizê-la”.
    Autor: Voltaire

    Publicar uma Resposta
  12. Luciano Ribeiro entregou o cargo pq apanhou três no sub-20? Muito estranho.

    Publicar uma Resposta
  13. As autoridades municipais do setor de turismo devem ter se “formado” na mesma escola que o depto. marketing do Santa Cruz que considera gasto e não investimentos com retorno certo e vantajoso( a cada um real investido em turismo gera um retorno 10 vezes maior)…Pois em plena copa do Mundo acontecendo no país aqui nem parece que é uma das cidades-sedes praticamente não se ver ruas enfeitadas para a cerimônia, e principalmente com tantos turistas circulando por aqui nesse período e os coitados desesperados procurando aqui o que ver, fazer( e GASTAR!!) mas essa nossa administração municipal( ex: o abandono do fifa fan fest) da mesma forma que nosso depto. Marketing do Santa Cruz não conseguem enxergar!

    Publicar uma Resposta
  14. Meira Ricci já começou a aprontar das suas na Copa do Mundo. Marcou um pênalti duvidoso para França e ainda expulsou o jogador de Honduras sem necessidade nenhuma.

    Coitada de Honduras. Vai ser roubada do mesmo jeito que o Santa foi.

    Publicar uma Resposta
    • O penalti foi claro, o videotape mostra que o zagueiro realmente foi no corpo do francês. A dúvida está no fato do vermelho, mas aí vai da interpretação. E Tanto que há dúvida que mesmo entre os comentaristas não houve consenso.

      Publicar uma Resposta
  15. Que excelente lição deu os torcedores japoneses após o jogo na arena dudumbo com saquinhos plástico coletando seu lixo produzido lá:

    http://www.youtube.com/watch?v=tZDFykwtvG8

    Eu sou muito crítico do excesso de frescuras que o tal padrão fifa impõe para os torcedores dentro do estádio, mas atitudes como essa dos japoneses tem que ser exaltada.

    Publicar uma Resposta
  16. sou apaixonado pelo santa e gosto da seleção..
    o futebol é uma questão cultural brasileira..

    e em relação aos colegas que falam de política, digo que a 4 eleições anulo meu voto(no primeiro e segundo turno), mas agora a elite fascista tucano voltou a destilar seu ódio.. eleição e copa do mundo só podia dar nisso..

    dos três grandes partidos que vão disputar a eleição(psdb,pt e psb), o PSDB é de longe o mais corrupto, depois vem o psb e depois o pt..
    vejam a reportagem:

    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/09/psdb-partido-mais-sujo-brasil-ranking-justica-eleitoral.html

    quem for presidente nesse sistema político atual necessariamente vai corromper(é a chamado governabilidade e etc)

    Independente de partido,torço para que haja a reforma política(como vai se fazer é que o x da questão), eu defendo financiamento publico de campanha(acabar com financiamento de empreiteiras e do capital privado em geral ..), discutir voto obrigatório ou facultativo, votar no partido(programas políticos,programáticos e não em candidatos, a exemplo de tiririca que levou pro congresso mais uns 4 ou 5 por conta da sua votação..), colocar como crime hediondo crimes contra o erário público e etc.

    PSDB nunca foi solução, a elite fascista brasileira está de volta nas eleições 2014 pra variar..

    Publicar uma Resposta
  17. O QUE VI, DE TRÁS PRA FRENTE, ATÉ AGORA, NESTA COPA DO MUNDO,

    A começar por este jogo de hoje, entre a Alemanha – um nosso grande FREGUÊS de CADERNO (é só olhar as estatísticas) – e o time de Cristiano Ronaldo. Os bávaros, como sempre, disciplinadíssimos, mais parecem 11 soldados da Wehrmacht. Os patrícios, infelizmente, não têm 11 CR7.

    JUIZ DO JOGO: melhor que o uruguaio STEBAN MARINHO que apitou a vitória final do Santa Cruz por 3 X 2, em março de 1958, pelo supercampeonato pernambucano de 1957. É que no 2º gol do Santa, o Naninho não quis deixar cobrar o pênalti, sentou-se em cima da bola na marca do pênalti e foi mais cedo pro chuveiro. Realmente, o árbitro de hoje foi o maior juiz que vi apitar na minha vida. Pelo menos até agora, fim do 1º tempo. Se tivéssemos a sorte dele apitar TODO JOGO DA COISA, teríamos o prazer de ver a boneca Júnior Baiana ir toda vez mais cedo pro chuveiro.

    Mas, quero falar sobre 4 seleções mundiais que parece que continuam as mesmas, desde a 1ª Copa do Mundo: denomino-as de INOCÊNCIA FC. Sempre tiveram bons a excelentes NÍVEL TÉCNICO mas não têm aquela manha (e um pouco de deslealdade) do brasileiro, argentino ou uruguaio, NESSA ORDEM.

    A 1ª delas é a Hungria, ausente dessa Copa que, depois de conseguir meter 9 X 3 na Alemanha, conseguiu perder a Copa pra mesma, de 3 X 2, no jogo final, APÓS ESTAR VENCENDO DE 2 X 0. Outra Seleção é essa fantástica Holanda. Quem viu o Hendrik Johannes Cruijff jogar (ou, simplesmente o Johan CRUYFF), o cérebro do AJAX da Holanda jogar e perder duas Copas do Mundo, não precisa dizer mais nada. Principalmente a primeira Copa, nos MESMOS MOLDES DA HUNGRIA, TAMBÉM FRENTE A ALEMANHA.

    As duas outras são as antigas IUGOSLÁVIA e CHECOSLOVÁQUIA e seus derivados. Leia-se respectivamente Bósnia e Croácia e República Tcheca e Eslováquia, atualmente. Duas grandes escolas, não dão porradas, jogam lealmente, mas ZERO também de malícia. Acho que seria até mais justo se já tivesse saído um título Mundial pra Hungria, Holanda, “Iugoslávia” ou “Tcheco-Eslováquia”, ANTES MESMO da Espanha. Mas, FUTEBOL É FUTEBOL. Tivesse a Croácia um pouco da escola sul-americana, eles não teriam perdido ontem dos platinos nem a Bósnia, tão facilmente, do Brasil.

    Itália X Inglaterra , A GRANDE MESMICE: os descendentes dos Césares, AQUELE TIME DE CHEGADA e os britânicos nunca passam, nesse aspecto, de uns bárbaros bretões (apesar de se auto-denominarem os inventores desse esporte mágico). Dos africanos, o que dizer? O sábio João Saldanha já dizia que via em suas equipes, num futuro, ONZE PELÉS EM CAMPO. Mas, falta-lhes ainda a mandinga dos sul americanos (que parece já está batendo à porta de uma Colômbia ou de uma Costa Rica da vida). É isso aí. É o que penso.

    SAUDASANTA

    Livrai-nos de uma Argentina, Sr. São Bento, na final. Dêm-me dez Alemanhas! Ops, fui elogiar o árbitro e o mesmo acabou de glosar um pênalti contra os germânicos (que já responderam com MAIS UM GOL). Pintando goleada em Salvador. Esse Tomas Mueller é descendente do famoso GERD MÜLLER ou é mera coincidência? E JOGÃO e GOLEADAS HISTÓRICAS É SÓ NA BAHIA É? Vou parar por aqui já nos 4 X 0 da Alemanha (senão não vejo direito o 2º tempo).

    SAUDASANTA NOVAMENTE

    Publicar uma Resposta
  18. IRÃ X NIGÉRIA:

    deu “calo na vista”. Faltou fundamento do futebol. ARGENTINA pegou essa baba de chave e deve se classificar “com os pés nas costas” JUNTAMENTE com a Sérvia SALVO um zebrão sem tamanho.

    SAUDASANTA

    Publicar uma Resposta

Submeter um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *