Quando o Santa joga… (com arremate de Inácio França)
set30

Quando o Santa joga… (com arremate de Inácio França)

Lembro dos excluídos, dos descamisados, dos sem destino. Lembro dos sírios, dos que tentam sobreviver pelo mundo. Lembro dos meninos todos do mundo. Lembro da alegria. Lembro dos amigos queridos: Naná, Vital, Inácio, Gerrá, Laércio, Esequias, Robson e outros milhares de corais. Lembro de Bruno, filho de Inácio e meu afilhado por escolha mútua. Lembro de Sofia, gritando de felicidade ao pisar no gramado do Arruda. Lembro dos gols abraçando amigos e desconhecidos. Lembro da rua Beberibe, que o oportunismo quer agora transformar em rua Santa Cruz. Lembro de andar de sandálias, pelas ruas do Recife. Lembro de quem está longe do Recife e do Arruda. Lembro do Arruda. Lembro dos mercados. Lembro dos velhos torcedores corais, que nos fizeram a chama chegar até hoje. Lembro de uma cerva gelada e uma dose de “serotonina”, como diz o amigo Zeca. Lembro de uma partida de dominó. Lembro de boas conversas, antes de um jogo. Lembro de Capiba. Lembro dos morros do Recife. Lembro dos corais que estão crescendo com a paixão coral. Lembro de tudo. Mas, como lembrou há pouco meu amigo Inácio França… Só não lembro do...

Leia Mais
Toda a energia é para nossa vitória
set29

Toda a energia é para nossa vitória

Pelo visto, a venda de calculadoras e tabuadas deve ter crescido um bocado aqui em Pernambuco. Não paro de receber mensagens dos mais diversos amigos tricolores corais santacruzenses das bandas do Arruda. Um amigo me enviou uma planilha em Excel que atualiza a classificação e mostra o percentual de chances de classificação de cada equipe. Outro mandou ma zap-zap com uma imagem que comparava a classificação da seribê de 2014 com a de 2015. É conta de somar, subtrair, cálculos percentuais, estatísticas, probabilidades, mmc, mdc, funções exponenciais, derivadas e etecetera. O tema é um só: nossas chances de entrar no tal G-4 e de subir para série A. Há quem defenda que é melhor ficar na segunda divisão. Eu penso diferente. Mas isto é assunto para ser tratado depois, pois a superstiçãofutebolística manda que a gente não bote os carros na frente dos bois. Só sei que todas as vezes que abro uma dessas mensagens cheia de prognósticos, previsões e comparações, fico mais confuso ainda. E aí, a ansiedade rompe a gravidade e sobe feito um foguete. Ontem inventei de entrar no site da CBF para olhar a classificação final dos últimos campeonatos da segundona, quando percebi eu estava no Google fazendo pesquisa sobre todas as edições da seribê do brasileiro na era dos pontos corridos. Fechei a janela e decidi de uma vez por todas que não vou mais desperdiçar energia fazendo contas. No máximo, ao final da rodada, dou uma olhada na tábua de classificação para ver como as coisas ficaram. E é assim que hoje vou pro Arruda: desprovido de cálculos e fórmulas matemáticas. Não quero nem saber de contas e percentuais. Não me importa a escalação, nem o esquema tático. Vou para entrar em campo, jogar com o time, fazer gol, defender, bater escanteio e transpirar raça. E hoje, quando o juiz apitar e baterem o centro, vou me lembrar de Dona Santina. Para ela não importava os jogadores, muito menos o campeonato e as estatísticas. Dona Santina, nascida naquele mesmo ano em que um grupo de jovens, que batiam pelada no Largo de Santa Cruz, fundou o nosso Clube, queria apenas ter a alegria de saber que seu time do coração, o Santa Cruz Futebol Clube, venceu mais um jogo. Não sei onde Dona Santina está. Ontem ela se foi. Mas hoje, quando o juiz apitar e encerrar a partida, quero que ela abra o sorriso e comemore mais uma...

Leia Mais
Ei, Fifa, vai tomar…
set25

Ei, Fifa, vai tomar…

Amigos corais, acabo de acessar o site coral (www.santacruzpe.com.br). Perplexo, vejo que a Fifa fez um novo julgamento do atleta Raniel, no dia 15 passado (à revelia, portanto, porque o clube sequer foi citado para nada) e decidiu “banir mundialmente” o jovem craque coral até 22.02.2016. Desnecessário comentar o impacto que isso vai ter nesse jovem (mas creio que o futuro só pode estar reservando coisas espetaculares para ele). Desnecessário também comentar o asco que esta entidade, a FIFA, me prova asco. Montada em bilhões de dólares, segue firme no seu raro e obsessivo apetite para destruir a paixão pelo futebol, em todo o planeta. Desnecessário dizer que é momento do elenco, diretoria e torcida se juntarem para enfrentar mais essa pancada e seguir firmes, rumo à classificação. Vejam a nota oficial no site:...

Leia Mais
Aos amigos torcedores cronistas
set22

Aos amigos torcedores cronistas

Por Paulo Batista Amizades que se constroem por causa de futebol costumam render. A história começa na arquibancada, na esperança do resultado, na euforia da vitória, na desilusão da desclassificação, no êxtase do título ou na cornetagem pra cima do jogador que não agrada quase ninguém. E segue depois na cerveja dividida nos botecos com os parceiros ou com os adversários, seja tirando onda ou deixando claro toda a indignação com os acontecidos da bola rolando. Agora, quando os atalhos dos campos fazem se encontrar os caras que escrevem ou desenham sobre seus times, o estrago total está feito. São horas e horas de histórias. Não tem trégua pra juíz ladrão, técnico retranqueiro, jogador indolente, dirigente desonesto ou empresário sanguessuga. Toda honra e toda glória aos craques que fizeram história e aos raçudos que nunca desistem. Justiça feita às figuras inusitadas que torcem na arquibancada. Paixão infinita demonstrada com entusiasmo. Muitos amigos vieram primeiro por seus textos publicados nesse universo dos blogs de malucos geniais fanáticos iluminados. Eles me foram apresentados sempre por outros sujeitos de capacidade admirável e sensibilidade inteligente que povoam as bancadas dos estádios nos lugares onde estive, acreditem. Quando encontro esses cronistas em versão, carne e osso, cérebro e camisa de time, eu já os conheço. Então dá-lhe história, petisco e cerveja… mais e mais arquibancada. E mais ideias também. É assim que acontece. Deve ter sido assim desde a hora em que inventaram o futebol, a melhor de todas as invenções. *Paulo Batista é cartunista, publica no blog Boteco da Lusa e nesta quarta-feira(23), a partir das 19h, no Espaço Cultural Bar Mamulengo, na Praça do Arsenal, estará batendo papo com o Blog do Santinha e o Blog do...

Leia Mais
Ganhamos ontem, quarta-feira tem mais!
set21

Ganhamos ontem, quarta-feira tem mais!

Não fosse o futebol esta coisa tão surpreendente, ontem na volta da viagem a São Lourenço da Mata, teríamos enfrentado um engarrafamento gigante de revolta, tristeza e reclamações. Nem o mais otimista de todos, depois de Marcelotti ter encarnado o verdadeiro Professor Pardal e abusado de fazer substituições malucas, imaginaria que o baixinho Vitor entraria feito um foguete na área do adversário e faria um gol de cabeça aos 44 minutos do segundo tempo. Juntamos mais uma vitória e colamos no G-4. O dois a um que metemos nos cearenses, trouxe de volta a esperança. E não fosse sorte e esperança, eu seria torcedor de jogo de xadrez. Falta pouco meus senhores. Bem pouquinho. Um tiquinho de nada. Com mais uma ou duas rodadas, temos chances reais de entrar no meio da turma que vai subir. Me apego ao que defende Paulo Batista do Blog Boteco da Lusa e tantos outros que conheço. “É melhor engrenar o arranque no final, do que começar a todo vapor e depois ir caindo pelas tabelas”. Paulo está aqui em Recife e foi para o jogo. Vestiu a camisa do Santa Cruz, pegou a mão de sua Isabel e se juntou a nós nas cadeiras que ficam atrás da barra. Conheci eles tem uns dois meses. Quando falei para Esequias que iria passear em São Paulo, ele foi certeiro e me colocou em contato com o casal. São torcedores da Portuguesa e apaixonados por futebol. Pessoas do bem. Daquelas de sorriso fácil e boa conversa. No jogo de ontem, Paulo vibrava e torcia como se fosse Santa Cruz desde nascença. É impressionante o poder agregador que tem o futebol. E mais ainda, o nosso clube. Há uma mistura de respeito e carinho espalhado por este mundo afora quando falamos que somos Santa Cruz. Desta vez que estive em São Paulo, fiz uma visita ao Morumbi. Um esquema bem organizado. Em horários marcados, um guia leva grupos de torcedores para conhecer as dependências do estádio e vai explicando as coisas. Há certa altura, o rapaz que nos guiava começou a perguntar o time da cada um. E foi tirando onda. Quando dissemos em alto e bom som que torcíamos pelo Santa Cruz, ao invés de piadas vieram elogios. Por alguns instantes viramos atração. Mas voltando ao meu amigo Paulo Batista, na próxima quarta-feira, dia 23, a partir das 19 horas, no Espaço Cultural Bar do Mamulengo, nós do Blog do Santinha sentaremos com Paulo(Boteco da Luca) e a turma que faz o Blog do Mequinha, para bater papo sobre futebol, para contar boas histórias, dar pitacos, trocar ideias e celebrar a amizade. Quem quiser...

Leia Mais