Esquentando os tamborins.
jan24

Esquentando os tamborins.

Gerrá estava na praia, na vida boa, e me pediu para escrever sobre o jogo do Santinha contra o América. Sama pediu para elogiar o time: “Dá uma instigada na torcida”. Eu estava me preparando para escrever quando li o comentário do amigo Flávio Tricolor de Gravatá. Disse tudo o que eu queria escrever – ipsis litteri. Flávio escreveu: “A impressão foi muito boa da partida de ontem, a equipe se mostrou arrumada taticamente, ainda precisa melhorar é claro, mas me deixou animado. Ainda precisamos de reforços, principalmente para meia, hoje foi anunciado Patrick Vieira, espero que ajude apesar dos problemas com sucessivas lesões que sofreu nos últimos três anos. Não poderia deixar de elogiar três jogadores; o lateral direito Marcos Martins, mostrando que existe vida além de Vítor, bom no apoio e ótimo na marcação, o zagueiro Vitão, jogando bonito quando era para jogar bonito e dando chutão, quando era para dar chutão, além dos gols marcados, destaque para o primeiro que foi sensacional e por último elogiar o garoto Elias, pela personalidade e pelo gol de gente grande”. Disse tudo. Mas ontem, o jogo contra o Flamengo foi truncado, feioso mesmo. Dois gols de pênalti. Só assim para Augusto fazer alguma coisa. Mas não dá para deixar de comentar o péssimo estado do gramado. A bola parecia quadrada. O resultado não foi de todo mau. O Flamengo veio de uma grande vitória contra o Do Recife e jogar fora de casa tem lá o seu peso. Estou confiante no modo como Leston Júnior está montando nosso time. O teste de fogo, o jogo em que veremos o alcance dessa equipe será, para esse início de temporada, no sábado contra o Bahia. Agora o negócio é outro, camaradas. Esquentem os tamborins que a parada é dura. Além do mais, a torcida tricolor coral está ansiosa para retornar ao Arruda. Iniciaram o esquema de vendas de ingressos. Eu já estava pensando comigo como sempre faço: rever os amigos, tomar umas em Abílio e comer o melhor cachorro-quente do mundo. Porém, meu amigo Juninho me mandou uma mensagem no zap que é desanimadora. É bem possível que o jogo seja transferido para a Arena. Esse esquema é velho e fode a torcida. Possivelmente o gramado não está pronto porra nenhuma. Mas acredito que é preciso transparência por parte da presidência e da diretoria para informar aos torcedores onde realmente será o jogo. Vender ingressos como se fosse para o Arruda e levar a galera para a Arena é sacanagem. Já estão negociando para que o jogo contra o Afogados seja também na Arena. Haja paciência. Saudades do Arrudão. Tricolor coral...

Leia Mais
Que comecem os jogos.
jan19

Que comecem os jogos.

Dizem as más línguas que alguns olheiros da Nova Zelândia – de um grande time de Auckland – entraram em contanto com o Santinha para levarem Héricles para a Oceania. Meu velho, que danado de falta foi aquela contra o Botafogo/PB? Bastou elogiar o cara no post anterior e deu essa lambança. Mas sigamos. O sábado foi de tirar muita onda com os torcedores do Do Recife e do Capibaribe. Flamengo e Central mandaram bem. Melhor início de campeonato só mesmo com nossa vitória nesse domingo contra o América. Estou desolado. Esse jogo na arena é de lascar. Tudo bem, o estádio é massa, as instalações são de primeira, mas chegar e sair de lá são outros quinhentos. É teste de paciência. Uma pena. Estou ansioso para retornar ao Arruda. Gerrá está na praia, na vida boa. E Sama não poderá se deslocar aos confins do planeta. Possivelmente irei me encontrar com o incansável Juninho – um dos tricolores corais mais verdadeiro que conheço. No jogo contra o Botafogo/PB, nosso goleiro foi bem. A zaga é bem diferente daquele desastre do ano passado. Ainda sentindo falta de Pipico nesse time. No Twitter, Leston Júnior mostra que está muito consciente de seu time. Estou otimista com esse nosso treinador. Espero que o fantasma dos salários atrasados não se torne nossa maldição. E também espero que o time se acerte mais e encontre sua personalidade. É extremamente importante não vacilar nesse domingo e trazer uma vitória. A notícia mais recente foi a contratação de Guilherme Laranja, digo, Guilherme Queiroz. O Laranja, digo, o atacante veio do Juventude e já está treinando com o elenco. O negócio agora é torcer para que o gramado do Arruda seja logo reformado e que possamos retornar à nossa casa. Teremos, em 2019, finalmente, um placar eletrônico. Já escrevi sobre isso aqui. Muito feliz com essa notícia. E nosso CT está na eminência de se tornar uma realidade. Bem, hora de preparar o fígado para essa maratona que é o Campeonato Pernambucano. Hora de rever os amigos, tomar todas em Abílio, comer o melhor cachorro-quente do mundo e sonhar com conquistas nesse ano que se inicia. Acho que me arretei. Hoje estou otimista que só a porra. Avante, Santinha. Que comecem os...

Leia Mais
A fé é preta-branca-vermelha
jan14

A fé é preta-branca-vermelha

Parece que faz um ano que estamos sem ver o Santa jogar. Este calendário da sericê é cruel. Deixa um vazio danado. Mas para alegria da torcida mais apaixonado do Brasil, terça-feira começa nossa temporada. Jogaremos em João Pessoa pela Copa do Nordeste.A gente vai encontrando os tricolores corais santacruzenses das bandas do Arruda e as perguntas se repetem.“E aí, tás acreditando?”“E esse ano, será que a gente chega?”“E fulano?”. “E sicrano?”. “E beltrano?”Peito de Pombo me perguntou o que eu estava achando dos contratados.Diante de tantas idas e vindas e de toda a minha quilometragem rodada acompanhando e torcendo, a esperança já não é mais da mesma cor de antes. Eu já nem ligo muito para as contratações.Mas não disse isto a ele, pra não cortar o seu barato. Tirei uma onda. “Rapaz, trouxeram um atacante aí que faz uns doze anos que não faz gol”. Peito disse: “vai fazer pelo Santa Cruz. A gente sempre ressuscita esses jogadores”.Acho massa essa fé.Minha filha menor disse que tava com saudades do Arruda. Me perguntou: “papai, Ricardo Ernesto ainda tá no Santa?”. Respondi que sim. Ela ficou super animada. “Ele é muito bom. É muito melhor do que aquele Gordinho! ” Deu uma pausa e continuou: “Ri-car-do Er-nes-to! Que nome! Queria tirar uma foto com ele”.Contei para ela que finalmente, vamos ter um placar eletrônico no Arruda. Ela não faz ideia do que seja. Não só ela. Ela e tantas outras crianças que frequentam o Arruda não fazem ideia do que seja um placar eletrônico.“Como assim, um placar eletrônico?”.Fui procurando formas de explicar àquela cabecinha o que era um placar eletrônico. Um painel luminoso. Bem grande. Que informa quanto está o jogo. Nele aparece o nome dos jogadores. O nome de quem fez o gol.“Aparece o nome do goleiro?”.“Aparece. Do goleiro, do zagueiro, do atacante, de todo mundo. As vezes aparece até a foto.”“uh-hu! Vai ser massa! Eu queria ver a foto de Pipico, tu queria ver a de quem, papai?”“Hum…. peraí! Queria ver…, já sei. Sabe o que eu queria ver?”“O que?”“Queria ver o placar piscando a palavra Gooollllll e mostrando a foto de Jô. E no final da sericê, eu quero ver escrito no placar: Santa Cruz, bicampeão da Serie C”.“Aê, papai!”, ela chegou batendo.E eu pensei, “a fé é...

Leia Mais
Ano sabático.
jan10

Ano sabático.

O amigo Robson/PI escreveu: “Ouvi dizer que quando o atacante Jô fizer seu primeiro gol os editores do blog vão atualizar o texto”. Meu velho, se dependesse desse perronha, nem Blog e nem Santinha se salvariam. Não dá para entender que critério desgraçado foi usado para contratar uma desgraça dessas. Esse comentário foi de uma postagem de 25 de agosto do ano passado. Porra, quase cinco meses sem postar nada por aqui. Na verdade, foi quase um ano sabático para o Blog. Acho que também foi para a grande maioria da torcida tricolor coral das bandas do Arruda. A morgação de não termos conseguido o acesso à séribê foi de lascar. O tempo sem jogos foi triste. Todo dia eu acompanhava as resenhas, mas era aquela mazela residual, aquela sensação de “puta que pariu, quase”. Não apenas eu, Gerrá e Sama: todos os meus amigos corais pareciam apáticos, sem muito interesse. Os jogos treinos trouxeram aquela velha sensação de que precisaremos de algum tempo para nos acostumar com as caras novas. Uma das poucas exceções é meu amigo Juninho, tricolor incansável, crítico lúcido das agruras do clube que sempre me mantinha atualizado das questões internas do clube pelo zap. E Esequias, mais fanático e apaixonado pelo Santinha é quase impossível. O jogo contra o Treze foi razoável – não sejamos nem otimistas e nem pessimistas. O Treze só vinha de vitórias. Havia desbancado o Capibaribe em terras pernambucanas e estava com a porra toda. Arrancar o empate em um amistoso desses é importante. Leston Júnior afirmou que precisamos de mais seis amistosos para que o time possa atingir um nível aceitável. Gostei de Pipico e Augusto (com as eventuais reservas de sempre). E mais ainda de Héricles – aquela falta com a perna esquerda foi algo de espetacular. Dia 15 começa a Copa do Nordeste e dia 20 é dia de retornar ao Arruda contra o América, rever os amigos, comer o melhor cachorro-quente do mundo, tomar umas em Abílio e respirar aquele clima maravilhoso que só o Arruda possui. Sim, meus amigos. O Blog do Santinha voltou. Não morremos e tampouco o Santa Cruz. Aliás, o Santa Cruz é imorrível assim como a paixão e amor de sua torcida. Pé de coelho, sal grosso, ferradura e muita mandinga para quem torce contra. Para os amigos de sempre, saudações tricolores corais do grande e glorioso Arruda e desse humilde Blog. De volta que “habemus futebol”, meu...

Leia Mais
Apenas um jogo
ago25

Apenas um jogo

Eu até tento controlar os nervos. Tento fazer de conta que sou forte, que o futebol é apenas uma diversão. No jogo passado, quis ficar imune e segurar a emoção. Mas foi chegando o dia e, uma mistura de ansiedade, angustia, sei lá o que, vai tomando conta da gente. Domingo, quando vi o movimento nas ruas, as pessoas, bicicletas, as vans, as kombis e ônibus lotados dos mais diversos torcedores do Santa Cruz, do Santa Cruz das bandas do Arruda, o coração foi se desmascarando e mostrando sua face. O rosto do coração preto-branco-vermelho. O coração que vibra, que torce, que entra em campo, que defende, que ataca, que faz o gol! Já dentro do estádio, me peguei com a mão gelada e as pernas bambas.  Enchi os olhos de lágrimas no golaço de Vitor. Estou assim, agora: nervoso! ansioso! querendo que esse domingo chegue antes do que está marcado no calendário. Sem conseguir pensar em outra coisa que não seja a partida decisiva. Confiante? Sim. O time incorporou a raça coral e está jogando como se fosse nós em campo. Os caras sentiram de perto a força da nossa torcida e o tamanho da nossa paixão. Como se diz no linguajar do boleiro, o time está focado. Mas futebol é futebol. E mata-mata é pra acabar com  qualquer racionalidade esportiva. E aí, lá vem aquela angustia, aquele sofrimento. Nem escrever, a gente consegue. É, meus amigos, quem for de beber, beba! Quem for de rezar, reze! Falta apenas um...

Leia Mais
Apenas dois jogos.
ago19

Apenas dois jogos.

A rodada desse sábado não foi boa para os pernambucanos: Do Recife levou outra lapada e está descendo ladeira abaixo em direção à séribê e o Capibaribe segue mantendo a velha tradição de nadar e morrer na praia. Se lascaram bonitinho. Do nosso lado, vi uns sites que não botavam muita fé na classificação do Santinha para a séribê. As estatísticas eram baseadas não sei em que método. Parecia mais papo de bebo em boteco. De minha parte, estou bastante confiante. Mas isso não significa que o jogo de hoje será fácil. Não, meus amigos e amigas, não será. O jogo de hoje é decisivo. Estamos apenas a dois jogos da B – 180 minutos e vai ser cana até umas horas. Todo tricolor coral das bandas do Arruda que converso parece esperançoso. Mesmo os mais desconfiados. Seu Manoel, o velho e bom garçom de Seu Sebastião do Pátio da Santa Cruz, sempre repete: “Ah, é Pipico”. Hoje não quero falar dos desacertos dessa gestão. Hoje é dia de esperança e de deixar as mazelas, por enquanto, de lado. É dia de invadir o Arruda, de celebrar o retorno à séribê, sair de casa com uma vitória e tomar muita cerveja porque ninguém é de ferro. E pagaram junho para aumentar nossas esperanças! Danny Morais, William e Arthur estão de volta ao time. Sandoval, Paraíba e Robinho devem compor o elenco também. Vou escutar a resenha para saber a escalação definitiva. Mas o amigo Guto resumiu, na última postagem de Gerrá, o espirito desse jogo: “Agora é mão na cara e dedo no olho. Tem isso de time bom e ruim mais não. É jogar com o coração e na base da raça. Avante Santa Cruz!”. É isso mesmo. Raça, raça pura e vontade de mandar essa séricê para a puta que a pariu. A Diretoria espera um público de 50 mil torcedores. No meio de uma crise econômica no país e sabendo que a torcida do Santa Cruz é o povão mesmo, achei um pouco salgado o preço dos ingressos para o torcedor que vai ter que espremer o bolso pra ir ao Arruda. Era para ter promoção em um jogo tão decisivo assim. Pelo que vi até agora, chegamos a quase 20 mil ingressos vendidos. Mas nunca sabemos o que é real ou não nesses esquemas. Verdade que sempre teremos os pessimistas de plantão que dizem que tudo está perdido e que o clube vai sumir do mapa. Desde sempre que escuto isso. De salários atrasados a crises administrativas, o Santinha sempre sobreviveu. De uma coisa eu não duvido nem a pau: o que move o Santa...

Leia Mais